Comedouros: quais os tipos que existem e quais os mais indicados para os pets?

Quem trabalha em petshop ou é apaixonado por pet sabe: comedouros não são todos iguais! Os potes de comida e água podem fazer toda a diferença para o animal e devem ser adequados a ele. Porte, raça, focinho, enfim, são vários fatores que podem determinar a escolha da vasilha ideal para cada bichinho.



Primeiro, é preciso conhecer o que há no mercado e para quais tipos de pets elas são mais recomendadas. Ao relacionar ao tipo de pet que possui, será muito mais fácil escolher o modelo certo e que auxiliará o bichinho na hora da sua refeição.

Saiba mais sobre os tipos de comedores e como escolher o melhor.


O tamanho e a profundidade dos potes

O tamanho e a altura das vasilhas importam muito e têm influência até no bem-estar do cachorrinho. Quanto maior o porte do pet, mais alta deve ser a sua vasilha de comida. Já para as raças pequenas, é recomendado manter potes mais baixos, porém, a uma certa altura do chão.

Isso acontece por conta dos problemas de coluna, pescoço, dores musculares, entre outros problemas que podem acontecer caso a altura não esteja adequada. Para a profundidade, é preciso considerar o focinho do pet, se for muito achatado é indicado usar comedores mais rasos, se o focinho é mais comprido é possível optar por potes um pouco mais fundos.


O material dos comedouros

Atualmente, os comedouros são feitos principalmente de alumínio, aço inoxidável, vidro, cerâmica ou plástico. Cada um desses materiais possui vantagens e desvantagens. Os potes de plástico e alumínio são dotados de valores mais acessíveis, porém, correm o risco de soltar pequenos fragmentos na comida ou água do animal.

Já os modelos de cerâmica e vidro são fáceis de limpar, razoavelmente acessíveis, entretanto, apresentam maior facilidade de quebra. Além disso, podem não ser muito interessantes para filhotes e adultos mordedores.

Os de aço inoxidável chamam maior atenção pela sua praticidade de higienização, baixo custo e durabilidade, além de serem mais leves e muito práticos. Por isso, esse é o material mais indicado, devido aos seus benefícios em relação aos outros materiais e modelos de comedouro.




Os modelos e formatos que ajudam o pet

Há alguns modelos alternativos, como os comedores automáticos, que liberam a comida de acordo com o esvaziamento do pote. Há também formas que vêm com labirintos e design diferenciado, conhecidos como "comedouros lentos", isso serve para ajudar, por exemplo, os pets que comem muito rápido a diminuírem o ritmo. Cabe ao tutor ver as necessidades e aliar ao que é melhor para o pet na hora de escolher.



Viu como o modelo influencia no bem-estar do pet? São vários materiais, alturas, profundidades, além de detalhes que fazem toda a diferença para os doguinhos. Por isso, ainda que não pareça tão relevante, escolher o comedouro é uma tarefa importante e merece atenção.

Gostou? Clique aqui e conheça nossa linha!